Quer começar a correr? Muita calma nessa hora!

Dani Christoffer12

Isso mesmo, não é só sair correndo por aí não, é preciso tomar algumas medidas para não ser surpreendido com uma lesão logo no início.

Como começar? Essa é uma pergunta extremamente pertinente! E segundo Mario Fisioterapeuta, Especializado em Neurofisiologia, a resposta é, comece com segurança e sem riscos.

“A orientação Médica, o acompanhamento de um profissional de Educação Física e preenchimento do ParQ (Questionário de Prontidão para Atividade Física), são extremamente importantes e imprescindíveis, quando o assunto é corrida, evitando assim, riscos inerentes a esta prática”. Explica o Professor Mário Love. ​

O que leva determinados indivíduos a praticarem regularmente atividades físicas? Existe um consenso, em que o ser humano busca resultados inerentes a sua saúde física a todo momento e, portanto, esse é um dos maiores motivos de adesão à prática de corrida.

Quem corre sabe o que estamos falando. A satisfação e o prazer através da liberação de endorfinas, é um componente altamente importante na permanência desta prática que chamaremos criteriosamente “efeito recompensa”. Quanto a competitividade e o contexto social, são elementos que tornam a prática da corrida extremamente agradável.

Para o Professor Mario, visando contribuir com o treinamento dos leitores, é preciso identificar os interesses peculiares dos praticantes, e assim auxiliar os treinadores e aos praticantes recreativos. Incentivar a corrida como hábito saudável, sempre respeitando os limites.

O aparelho locomotor é extraordinário. Estudos sobre a prática e pesquisas de determinados grupos de indivíduos, há vários séculos vem contribuindo para alta performance, basicamente, por meio da corrida.

E não podemos esquecer da importância da Corrida na prevenção de doenças cardiovasculares, endócrinas, dentre outras.

A corrida, virou febre, se popularizou como uma das principais atividades de condicionamento físico. Mas sabemos que muita gente começa correr sem orientação. Não é uma boa ideia.

Mario explica que para uma prescrição é necessário respeitar o princípio da sobrecarga, que consiste nas combinações de frequência, intensidade e duração de exercícios adequados para atletas de alto rendimento, ou por sedentários.

Um importante parâmetro na intensidade da caminhada e da corrida é a velocidade de deslocamento e/ou locomoção. Para velocidades menores que 6 km/h, a caminhada é mais eficiente, enquanto que, para velocidades acima de 8 km/h, a corrida é mais recomendada. (AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE, 2000).

Há aproximadamente 50 anos, no Brasil se iniciou a construção da corrida de rua. E não poderíamos deixar de citar o nome de Kenneth Cooper que difundiu esse hábito no Brasil e ao incentivo da prática esportiva.

Juntos com esse boom vieram novas oportunidades de métodos de treinamento físico, novos paradigmas médicos, e mudanças significativas socioculturais. Conta Mario Love.

Quem corre sabe que é viciante, apaixonante, mas não há nada melhor que terminar uma corrida, um trote que seja, sem dor! Por isso, procure um especialista, faça exames, comece caminhando, vá aumentando um minuto por dia, devagar e sempre.

Quando perceber já estará pronto para sua primeira prova de rua. Comece com 5km, melhore seu tempo, e vá progredindo.

Lembre-se cada um é cada um, preocupe-se com você. Você é o seu maior adversário, não o corredor do lado!
Vamos correr juntos e sem lesão! Fica a dica!

Qualquer dúvida mande para o Professor, Fisioterapeuta, Especializado em Neurofisiologia Mario Love!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter