Dieta Ortomolecular

Daniela Christoffer 1
Vamos conhecer um pouco mais dessa Dieta que muito se fala e pouco se sabe?

Segundo a Endocrinologista Dra. Saliha Mello, antes de falar da dieta primeiro precisamos entender o que é a medicina ortomolecular.
“A medicina ortomolecular é uma área de atuação, e não uma especialidade, que busca o equilíbrio físico e bioquímico do organismo como um todo. Nesse contexto, a dieta ortomolecular vem para ajudar a equilibrar nosso corpo, através da introdução adequada de macro e micronutrientes. Ou seja, a dieta ortomolecular tem como objetivo equilibrar as quantidades de vitaminas, minerais, aminoácidos, levando em consideração a idade, o sexo, o nível de atividade física e as patologias que, porventura, existam”, explica Dra. Saliha.
Dieta Ortomolecular emagrece? 
Para que o emagrecimento rápido ocorra dependemos de alguns outros fatores, como adesão à dieta, nível de atividade física, idade, sexo, dentre outras. Na realidade, o objetivo primeiro da dieta ortomolecular não é emagrecer, mas sim equilibrar a fisiologia e o metabolismo do indivíduo, restaurando, por conseguinte, o peso.
Quando você “conserta” aquele estresse oxidativo em que o paciente se encontra, o seu metabolismo passa a funcionar melhor e assim sendo, ele emagrece por conseqüência.
Benefícios e Vantagens da Dieta Ortomolecular
“O principal benefício é a restauração da qualidade de vida”. Dra. Saliha Mello
Segundo a Dra., “…muitas vezes não damos a atenção necessária as queixas do paciente, como qualidade do sono, funcionamento intestinal, intolerância alimentar com determinadas substâncias, quedas de cabelo, alterações na memória, libido, etc… E com a orientação alimentar ortomolecular, além de muitas vezes usarmos algumas formulações vitamínicas e minerais, o paciente logo de início já começa a se sentir uma melhora em relação às queixas”.
Uma das principais dúvidas é com relação ao preço dessa dieta, devido aos suplementos que fazem parte. Mas para a Endocrinologista o preço da dieta vai variar de acordo com o que o indivíduo pode pagar. Existem dietas que acabam sendo muito caras e outras que saem bem baratas.
Por isso o médico deve conversar com seu paciente para saber as suas condições financeiras. Os suplementos/prescrições quase sempre estão presentes, mas não são definitivos.

A partir de uma anamnese (entrevista médica) bastante detalhada, e de exames laboratoriais, é feita uma avaliação individual das carências vitamínicas, minerais e de aminoácidos. Assim orientar a retirada de determinados alimentos e a introdução de outros.

E lembre-se: A Dieta Ortomolecular é uma dieta individualizada, cada um faz a sua e não deve ser compartilhada.
Segue alguns alimentos que não são consumidos na Dieta Ortomolecular:
• Leite de vaca;
• Enlatados, embutidos;
• Álcool;
• Refrigerantes, sucos de caixinha e em pó, bebidas prontas;
• Adoçantes artificiais (exceto para pacientes diabéticos);
• Temperos industrializados;
• Açúcar refinado / cristal;
• Carnes gordas, especialmente as vermelhas.
Então, para começarmos na Dieta Ortomolecular devemos manter uma alimentação mais natural, de preferência com produtos orgânicos.
Uma dica da Dra. Saliha é: se puder, faça uma horta em casa e cultive seus próprios vegetais. Mesmo morando em apartamento dá pra fazer uma mini horta. Tem vários canais no youtube que ensinam a plantar em casa (como do Isaac Horta em apartamento). Fica a dica!
Espero que tenham gostado, qualquer dúvida, escreva que a Dra. Saliha Mello responde aqui.
Compartilhe! Bjim
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter